Louro (Laurus nobilis)

O louro ou loureiro (Laurus nobilis) é um arbusto ou uma árvore que normalmente atinge menos de 10 m de altura, mas que pode chegar a atingir os 20 m de altura. Possui uma copa densa e as suas folhas em forma de lança são verde-escuras na parte superior e mais claras na inferior. As suas folhas conferem um aroma característico da planta pelo que se torna fácil identifica-la.

É nativo da região mediterrânea e prefere um clima ameno, sem geadas prolongadas. Embora seja indiferente ao pH, necessita de solos húmidos, soltos e férteis e também de precipitações ou rega nos meses de verão. Resiste moderadamente ao frio, mas mais dificilmente a ventos fortes frios, por isso não se dá bem com excessiva exposição marítima. Pode ser propagado por sementes ou por estaquia, podendo também ser cultivado em vasos, dessa forma não excedendo os 2m de altura.O Louro é altamente resistente a pragas e doenças.

A planta é muito utilizada para sebes de jardins e campos agrícolas no entanto o uso majoritário desta planta são as suas folhas, secas, utilizadas essencialmente para temperar alimentos durante a sua confecção, conferindo um sabor agradável à comida.

Embora o seu uso seja maioritariamente ornamental e culinário o Louro contém também variadas propriedades medicinais e é consumido na forma de chá principalmente para tratar alguns problemas digestivos, mas não só.

O Louro é rico em terpeno, alguns compostos fenólicos, como o 1,8-Cineol, linalol e ainda compostos de benzeno, os responsáveis pelo aroma picante das folhas do Louro, compostos estes que todos eles, em estudos laboratoriais, apresentaram atividade anti inflamatória, anti bacteriana, antioxidante e anti cancerígena.

As suas propriedades incluem a sua ação diurética, anti-reumática, anti-inflamatória, digestiva, estimulante e expectorante, no entanto não deve ser utilizado em excesso. O chá de louro é contra-indicado a mulheres grávidas ou em fase de amamentação.

Alguns estudos apontam para a toxicidade das folhas de louro quando consumidas em excesso, uma vez que contêm flavonóides que produzem uma reação oxidativa. Contudo, ainda não existem evidências científicas significativas.
Esta espécie é dioica, ou seja, apresenta plantas que normalmente produzem apenas flores masculinas e plantas que produzem apenas flores femininas. É necessário que existam plantas masculinas e femininas na região para que produzam frutos.

Flor da planta masculina.
As flores masculinas são amareladas e as femininas brancas, sendo a floração abundante entre Fevereiro e Maio.

Os frutos, que são bagas, são inicialmente verdes mas quando maduros são brilhantes e roxo-escuros, quase negros. Regra geral amadurecem no início do Outono entre Outubro e Novembro.

Quando a planta estiver bem desenvolvida, as folhas podem ser colhidas quando necessário e deixadas a secar a sombra. As folhas secas têm um sabor mais forte, mas este vai desaparecendo com o passar do tempo.

As bagas também podem ser colhidas e deixadas para secar a sombra.Quando secas podem ser moídas ou raladas e usadas como especiaria.

Curiosidade: As coroas que eram colocadas nas cabeças dos atletas vencedores dos jogos olímpicos da antiga Grécia eram feitas de folhas de Louro. Os heróis e vencedores das batalhas também eram coroados com este símbolo de triunfo. Esse costume também foi herdado por Roma na época dos Césares. Por isso o termo laureado deriva justamente do gênero Laurus.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s